POLICIAL

Elemento envolvido em tiroteio em Pato Bragado é encontrado morto no Paraguai

Ele é fugitivo da cadeia de Foz do Iguaçu e seria integrante do PCC

Pato Bragado, Paraguai
Encontrado | 26/01/2016 09h34

Polícia continua as buscas pelos demais envolvidos no tiroteio de ontem (Foto: Cristine Kempp/AquiAgora.net )
Harri mecanica

Um fugitivo da cadeia de Foz do Iguaçu foi encontrado morto no Paraguai, na região de Marangatu, na tarde desta segunda-feira (25). Foi confirmado que ele era um dos envolvidos no tiroteio desta manhã em Pato Bragado.

O homem encontrado morto, identificado como sendo Gilberto Blodoff, além de fugitivo de Foz, seria integrante do PCC – Primeiro Comando da Capital. O corpo será trazido para o Brasil e sepultado na cidade de Missal.

Ontem pela manhã, quatro elementos que estavam num veículo HB20, com placa de Foz do Iguaçu, abordaram um policial militar próximo ao Parque de Exposições de Pato Bragado e começaram a atirar. O PM revidou e se jogou num bueiro. Ele foi atingido por quatro tiros, mas passa bem.

O carro foi encontrado abandonado logo depois na Linha Oriental. No seu interior foram encontradas manchas de sangue, o que leva a crer que um dos marginais foi atingido pelo PM no revide.

Várias equipes policiais, com o uso de cães e até de um helicóptero, trabalham desde então para tentar encontrar os elementos envolvidos no tiroteio. As buscas continuam nesta terça-feira (26) em toda a extensão da fronteira.

Em alerta

Os policiais de toda a região estão em alerta. A suspeita é de que uma ramificação do PCC estaria por trás das mortes de policiais no Paraná. Em menos de uma semana, quatro policiais militares morreram assassinados e um foi espancado na região de Curitiba.

Ontem, além do PM que foi baleado em Pato Bragado, outro policial militar foi alvo de tiros na cidade de Londrina. Dois homens pararam um carro em frente a uma farmácia e atiraram diversas vezes contra o policial. Três tiros atingiram a vítima, que está hospitalizada.

O comandante-geral da Polícia Militar do Paraná, coronel Maurício Tortato emitiu uma nota oficial no dia de ontem, pedindo aos policiais para que fiquem em alerta, apesar de não reconhecer que os crimes possam ter alguma relação.


  


Comentários

ACESSAR SUA CONTA PARA COMENTAR    ou   CADASTRE-SE

Comente esta notícia

Ao enviar seu comentário você concorda com os Termos de Uso deste espaço.


 
Facebook Twitter WhatsApp