COTIDIANO

Itaipu garante estabilidade ao sistema elétrico em picos de consumo do verão

A demanda de consumo de energia sobre durante o verão

Foz do Iguaçu, Paraná
consumo do verão | 17/01/2017 11h23

Legenda (Foto: Caio Coronel/Itaipu Binacional )

Com o aumento das temperaturas, ocorrem picos de demanda da usina de Itaipu. A energia é requisitada subitamente e precisa ser fornecida de forma rápida e em grande quantidade, para evitar o desequilíbrio entre produção e consumo e consequentes quedas no sistema.

"A Itaipu pode ir do zero ao máximo em poucos minutos, por se tratar de uma usina hidrelétrica. Basta acionar mais turbinas. É uma agilidade e disponibilidade de potência valiosa, hidrelétricas são normalmente mais ágeis que outros tipos de usina", explica o Superintendente de Operação da usina de Itaipu, Celso Torino.

O superintendente explica que em um dia, quando a temperatura sobe, a variação pode chegar até 5 mil MW, comparando ao consumo de toda a cidade de São Paulo.

A Itaipu tem a seu favor a potência, de 14.000 MW. A maior usina exclusivamente brasileira é Tucuruí, com 8.730 MW, com 62% do total da capacidade instalada de Itaipu.

Calor

O recorde de demanda instantânea no Brasil ocorreu em 5 de fevereiro de 2014, com um pico de 85.708 MW. Mas essa marca pode estar com os dias contados. Na primeira semana de 2017, a demanda instantânea superou os 75 mil MW na terça, quarta, quinta e sexta-feira (dias 3 a 6 de janeiro), ficando acima dos números alcançados no mesmo período de 2016. E continua em alta: no dia 10 de janeiro, chegou a 80,8 mil MW.

De acordo com o Operador Nacional do Sistema (ONS), o aumento da carga esperado para janeiro de 2017 no Sistema Interligado Nacional é de 5,7%, quando comparado com o mesmo mês do ano passado.

As altas temperaturas no Brasil e Paraguai já refletem nos resultados de Itaipu em 2017. Nestes dezessetes primeiros dias do ano, a produção já é 11,7% superior a do mesmo período no ano passado, 4,6 milhões de MWh.

Em 2016, quando Itaipu teve o melhor mês de janeiro em 32 anos de operação, foram 4.196.367 MWh neste mesmo período. Segundo Celso Torino, essa geração maior não tem outra causa senão o calor, em especial, nas grandes metrópoles como Rio de Janeiro e São Paulo, no Brasil, e Assunção, no Paraguai.

Velocidade

"Durante o ano, Itaipu produz energia para o Brasil e o Paraguai como um atleta maratonista, de forma distribuída num largo espaço de tempo. Porém, em períodos como o verão, é preciso agir como corredores de curta distância, muita energia num curto período e disparando rapidamente", explica Celso Torino.

Com informações de Assessoria


  


Comentários

ACESSAR SUA CONTA PARA COMENTAR    ou   CADASTRE-SE

Comente esta notícia

Ao enviar seu comentário você concorda com os Termos de Uso deste espaço.


 
Facebook Twitter WhatsApp