COTIDIANO

Biometano eleva competitividade no campo

Um trator a biometano esta sendo apresentado no estande da Itaipu Binacional no Show Rural

Cascavel, Santa Helena
Show Rural | 09/02/2017 13h58

Um trator a biometano esta sendo apresentado no estande da Itaipu Binacional no Show Rural (Foto: Assessoria )

Os testes com o trator a biometano realizados no mês de janeiro em uma propriedade rural de 40 hectares no município de Santa Helena, a 100 quilômetros de Foz do Iguaçu, demonstraram que a nova tecnologia é viável e pode ajudar o agronegócio brasileiro a se tornar mais competitivo e autossuficiente na geração de combustível e energia.

Jorge Samek, dretor-geral brasileiro de Itaipu: “O que estamos vendo é uma revolução no campo."Jorge Samek, dretor-geral de Itaipu: “O que estamos vendo é uma revolução no campo”

A avaliação foi feita nesta quarta-feira (8), no estande da Itaipu Binacional no Show Rural Coopavel, em Cascavel (PR), pelo novo vice-presidente da New Holland para a América Latina, Rafael Miotto, e pelo diretor-geral brasileiro de Itaipu, Jorge Samek.

Também participaram da cerimônia o superintendente de Energias Renováveis de Itaipu, Herlon Goelzer de Almeida, o diretor-presidente do Centro Internacional de Energias Renováveis (CIBiogás – Biogás), Rodrigo Regis de Almeida Galvão, o diretor comercial da New Holland Brasil, Alexandre Blasi, e o diretor-presidente do Iapar, Florindo Dalberto.

O protótipo, que é uma das principais atrações do estande de Itaipu no Show Rural, foi desenvolvido na Europa pela New Holland a partir do modelo T6.140. Antes de vir ao Brasil, o veículo foi testado em uma fazenda no norte da Itália.

Segundo Rafael Miotto (ao microfone), com o trator o agricultor poluirá menos e terá maior rentabilidade.Segundo Rafael Miotto, com o trator o agricultor poluirá menos e terá maior rentabilidade

Para Rafael Miotto, o trator a biometano traz respostas a duas grandes preocupações do campo, que são reduzir os custos e poluir menos. De acordo com dados da empresa, a economia de combustível em relação a um modelo convencional é de 40%, com 80% menos emissões de poluentes. A autonomia, dependendo das condições de uso, pode chegar a cinco horas de trabalho ou mais.

“Quando você pensa na agricultura do futuro, que é a agricultura que vai ter certificados, muito em breve isso vai acontecer também com os pequenos agricultores. Você vai ter de certificar como produz, a origem do produto, como chegou a determinado resultado”, disse o executivo.

“O trator a biometano vai ajudar muito porque polui menos, consome menos, e economicamente o agricultor tem benefício direto porque vai gastar menos. Ou seja, terá maior margem, maior rentabilidade, e será mais sustentável”, completou.

 Antes do Show rural, protótipo foi testado em propriedade rural do Paraná.Antes do Show rural, protótipo foi testado em propriedade rural do Paraná

Jorge Samek reafirmou que transformar dejetos da agropecuária em biogás é uma solução inovadora para um problema grave e atual – as emissões de gases que provocam o efeito estufa e a poluição do solo, rios e lagos.

“O que estamos vendo é uma revolução no campo. Ao invés de poluir, você transforma esses dejetos em energia elétrica ou combustível veicular, e ainda aproveita a parte residual do processo como fertilizante. Ou seja, energia limpa e custo de produção menor.”

A vinda do trator à região Oeste do Paraná é resultado de um acordo de cooperação assinado por Itaipu e New Holland, em agosto do ano passado, durante a Expointer 2016 – a Exposição Internacional de Animais de Esteio (RS), para aprimorar e difundir as tecnologias relacionadas ao uso do biometano como combustível veicular.

O gerente de Marketing de Produto da New Holland, Nilson Righi, explicou que o objetivo dos testes no Brasil é avaliar o comportamento do veículo considerando o clima e as características das propriedades rurais do País. As observações poderão servir de referência para o desenvolvimento de novas gerações de tratores a biometano, até que o produto esteja pronto para ser lançado comercialmente no mercado mundial.

A propriedade escolhida para testar o trator no Brasil não foi por acaso. A Granja Haacke, de Santa Helena, tem uma estrutura com biodigestor, compressores e filtro para tratar dos dejetos gerados por gado confinado e galinhas poedeiras. É de lá que sai o biometano que abastece parte da frota de veículos da margem brasileira da usina de Itaipu.

Atualmente, dos 249 veículos da empresa, 59 são movidos a biometano – e esse número vai subir para 73 até o final do semestre. Itaipu e CIBiogás também estão concluindo a construção de uma planta de produção de biometano dentro da usina, que vai utilizar grama, esgoto e sobras de alimentos. O gás vai reforçar o abastecimento da frota.

Com informações de Assessoria


  


Comentários

ACESSAR SUA CONTA PARA COMENTAR    ou   CADASTRE-SE

Comente esta notícia

Ao enviar seu comentário você concorda com os Termos de Uso deste espaço.


 
Facebook Twitter WhatsApp