COTIDIANO

Paraná tem 12 cidades entre as 100 que mais geram empregos

Foi o segundo mês consecutivo de aumento na geração de emprego

Cascavel, Palotina, Toledo
MAIS VAGAS | 22/03/2017 16h46

Paraná tem 12 cidades entre as 100 que mais geram empregos (Foto: Arquivo Bem Paraná )

Mais da metade dos municípios do Paraná registrou saldos positivos de emprego em fevereiro. Das 399 cidades no Estado, 269 - ou 67,4% delas, geraram vagas no mês passado. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho, levantados pelo Ipardes -Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico Social-. O Estado registrou em fevereiro um saldo positivo de 9.962 vagas. Foi o segundo mês consecutivo de aumento na geração de emprego. O volume foi o dobro do registrado em janeiro (4.973).

Entre os Estados, o Paraná foi o segundo com maior distribuição da geração de vagas entre os municípios, só perdendo para o Mato Grosso do Sul, com 68,4% dos seus 74 municípios com saldo positivo.

“Finalmente há sinais consistentes de reaquecimento da atividade econômica. Passamos pela fase mais difícil e o Paraná está pronto para a retomada”, comentou o governador Beto Richa. “Os indicadores econômicos, especialmente inflação e emprego, melhoraram. O Estado mantém sua solidez fiscal e a safra recorde deste ano vai contribuir para acelerar o reaquecimento da economia”, acrescentou Richa. Para fortalecer a confiança e retomar o crescimento no prazo mais curto, é essencial que o País se mantenha no caminho das reformas”.

Dos 100 municípios com maior saldo de vagas no País em fevereiro, 12 são do Paraná. Curitiba foi a cidade que mais gerou emprego no Estado, com saldo positivo de 696 vagas. A capital ficou em terceiro lugar no ranking do País, atrás de São Paulo (4.649) e Belo Horizonte (883).

Na sequência vieram Cascavel (585), Capanema (489), Londrina (473), Toledo (414), Ibiporã (391), Francisco Beltrão (367), Rio Negro ( 366), Pato Branco (329), Maringá (322), Ponta Grossa (312) e Palotina (298).

Ainda maior

O secretário estadual da Justiça, Trabalho e Direitos Humanos, Artagão Junior, diz que a perspectiva é de um crescimento ainda maior. “Isso é fruto de um trabalho árduo e contínuo e de decisões acertadas por parte do governador Beto Richa. Na nossa Secretaria, neste momento, estamos num esforço extra para fazer a captação de vagas junto ao pequeno empresário, e assim, gerar mais oportunidades. Estamos trabalhando muito para que o resultado continue assim, positivo e crescente”, afirma.

Desconcetração

Para o diretor presidente do Ipardes, Julio Suzuki Júnior, a recuperação do emprego no Estado está desconcentrada, tanto regionalmente quanto setorialmente. “A retomada do emprego está ganhando contornos mais claros no Estado e vem sendo puxada por mais de um setor, o que é um fator muito positivo. A construção civil, a indústria da transformação e o setor de serviços voltaram a contratar”, diz.

Os investimentos em infraestrutura também vêm impulsionando emprego. Em Capanema, no Sudoeste do Estado, um dos municípios que mais geraram empregos em fevereiro, boa parte do saldo veio de contratações para obras rodoviárias na região, lembra Suzuki Júnior.

Salários

O ritmo de contratações também tem contribuído para uma retomada dos rendimentos. Levantamento do Ipardes mostra que o salário médio real dos admitidos cresceu 2,9% no Paraná em fevereiro de 2017, no confronto com o mesmo mês de 2016, passando de 1.363,89 para R$ 1.403,11.

“Nessa base de comparação é o maior aumento real desde meados de 2014, o que reforça a tese do arrefecimento da crise em âmbito local”, diz Julio Suzuki Júnior.

Um outro levantamento, realizado pelo Observatório do Trabalho, ligado à Secretaria da Justiça, Trabalho e Direitos Humanos, mostra a recuperação das vagas em mais um setor no primeiro bimestre.

A confecção de peças do vestuário foi a que apresentou o maior saldo de empregos formais, com 1.349, seguida da construção civil com 1.203 postos e do abate de suínos, aves e outros pequenos animais, com 912 postos.

A ocupação que mais contratou no Estado neste início de 2017 foi a de alimentadores de linha de produção, com 1.952 postos.

A indústria de transformação somou 5.747 postos neste primeiro bimestre de 2017, e os municípios que mais contrataram neste setor foram: Rio Negro (778 postos), Toledo (515), Londrina (501), Cascavel (462), Maringá (418), Palotina (384), São José dos Pinhais (258), Araucária (240), Telêmaco Borba (239) e Matelândia (211).

Na construção civil, também no primeiro bimestre, o município que mais se destacou foi Capanema com 1.257 postos, Curitiba 641 postos e Cascavel 288 postos.

Com informações de Agência Estadual de Notícia


  


Comentários

ACESSAR SUA CONTA PARA COMENTAR    ou   CADASTRE-SE

Comente esta notícia

Ao enviar seu comentário você concorda com os Termos de Uso deste espaço.


 
Facebook Twitter WhatsApp