POLICIAL

Policiais brasileiros trocam tiros com suspeitos de assalto a empresa de valores no Paraguai

PFs se depararam com um grupo de 12 pessoas na região de Itaipulândia, às margens do Lago de Itaipu, no começo da tarde desta segunda-feira (24)

Paraná
TROCA DE TIRO | 24/04/2017 15h51

Policiais brasileiros trocam tiros com suspeitos de assalto a empresa de valores no Paraguai (Foto: Divulgação )
Harri mecanica

Policiais federais trocaram tiros no começo da tarde desta segunda-feira (24) com suspeitos de terem assaltado uma transportadora de valores em Ciudad del Este, no Paraguai. O confronto teve início por volta das 12h em uma área rural de Itaipulândia, às margens do Lago de Itaipu, no oeste do Paraná.

De acordo com a Polícia Federal, uma equipe que estava de patrulha pela região se deparou com um grupo de cerca de 12 suspeitos que atirou e fugiu. Policiais militares e civis da região foram acionados para reforçar a segurança no local. Helicópteros também estão sendo usados na ação.

A PF acredita que o grupo que entrou em confronto com os policiais faz parte da quadrilha de assaltantes que invadiu a sede da Prosegur e fugiu levando cerca de US$ 40 milhões, o equivalente a R$ 120 milhões. Mais tarde a própria polícia informou que os valores ainda estão sendo contabilizados.

Eles teriam seguido até Hernandaria, vizinha a Ciudad del Este, e cruzaram a fronteira para o Brasil de barco pelo reservatório de Itaipu.

Assalto

Na ação, que teve início por volta da meia-noite e meia, horário paraguaio - 1h30, no horário de Brasília -, um policial que fazia segurança em frente à empresa foi morto. Por conta da troca de tiros outras quatro pessoas ficaram feridas. Os cerca de 50 assaltantes estavam armados com fuzis, metralhadoras e granadas.

Até a tarde, nenhum suspeito havia sido identificado ou preso.

Em entrevista à radio ABC Cardinal, o ministro do Interior Lorenzo Lezcano afirmou que os assaltantes eram brasileiros. Segundo ele, a maioria dos carros usada no assalto tinha placa do Brasil, e uma vítima relatou que ouviu os criminosos falando em português.

Lezcano disse ainda que as autoridades paraguaias tinham a informação de que um assalto poderia ocorrer no país, mas não sabiam “a hora, o lugar, nem o objetivo”. No início do mês, ladrões levaram cerca de R$ 600 mil de um carro-forte assaltado em Hernandarias.

Conforme o jornal “ABC Color”, este é possivelmente o maior assalto da história do país. Vídeos divulgados pelo jornal mostram fumaça após explosões e carros incendiados na cidade. 

Representantes da Prosegur disseram que por enquanto não devem se pronunciar sobre o assalto.

Com informações de G1 Paraná


  


Comentários

ACESSAR SUA CONTA PARA COMENTAR    ou   CADASTRE-SE

Comente esta notícia

Ao enviar seu comentário você concorda com os Termos de Uso deste espaço.


 
Facebook Twitter WhatsApp