COTIDIANO

Professores são sensibilizados ao Programa Cooperjovem

Eles irão desenvolver projetos educacionais cooperativos em suas escolas

Mal. Cândido Rondon, Entre Rios do Oeste, Mercedes, Quatro Pontes, Pato Bragado
COOPERJOVEM | 14/06/2017 14h32

Professores são sensibilizados ao Programa Cooperjovem. (Foto: Divulgação/ Assessoria )

A sensibilização de professores para o Programa Cooperjovem foi uma das atividades promovidas neste mês de junho pela Assessoria de Marketing, Comunicação e Cooperativismo da Copagril. Foram realizados quatro encontros envolvendo educadores das escolas municipais de seis municípios participantes: Marechal Cândido Rondon, Quatro Pontes, Pato Bragado, Entre Rios do Oeste, Mercedes e Guaíra.

Dentre os instrutores estiveram Erlei Antonio Vieira e Izabel Francelina Bento Calsavara, que explanaram aos professores sobre o que é o programa Cooperjovem, como funciona e qual a sua metodologia de trabalho.

Segundo Izabel, o programa propõe que os participantes elaborem e executem PECs -Projetos Educacionais Cooperativos-. Esses projetos devem partir de demandas existentes nas escolas e visam melhorar as condições de trabalho e relacionamento entre educadores e educandos, assim como seus familiares, para otimizar o processo de ensino-aprendizagem. “Fizemos a sensibilização sobre cooperação e cooperativismo, além de estimularmos os professores a identificarem as potencialidades e oportunidades que já existem no ambiente escolar, usarem melhor os recursos dos quais já dispõem e a buscarem parcerias para novos projetos”, relata Izabel.

Família

Um dos pontos fortes do programa é enfatizar a importância da cooperação, em especial com intuito de envolver as famílias dos alunos e a comunidade em atividades da escola. “Acredito que não adiantar ter as melhores práticas pedagógicas se não houver respaldo, apoio e envolvimento das famílias. É importante difundir que o ensino não é uma responsabilidade somente da direção da escola e dos professores, mas também da família e da sociedade”, enfatiza a instrutora.

Proximidade

Conforme Izabel, os projetos realizados de forma coletiva têm maior potencial de terem sucesso. A partir de propostas surgidas no programa Cooperjovem as escolas participantes já desenvolveram projetos de leitura, horta, reforma, criação de parque, jardim, conscientização sobre saúde, combate à violência, dentre outros. “Muitos projetos têm sido voltados a fortalecer o relacionamento entre professores e alunos, escola e família, e esses trabalhos refletem positivamente na qualidade de ensino”, assegura a instrutora.

Os professores que aderirem à proposta do Cooperjovem receberão treinamento de capacitação para desenvolverem os projetos.

Com informações de Assessoria


  


Comentários

ACESSAR SUA CONTA PARA COMENTAR    ou   CADASTRE-SE

Comente esta notícia

Ao enviar seu comentário você concorda com os Termos de Uso deste espaço.


 
Facebook Twitter WhatsApp