AO VIVO

AO VIVO SESSÃO DA CÂMARA MUNICIPAL DE MARECHAL CÂNDIDO RONDON

POLICIAL

Moradora de Maringá diz ter perdido R$ 100 mil em 'golpe do amor'

Ela fazia depósitos acreditando que liberaria a chegada de pertences dele da Rússia para o BR

Paraná
Golpe | 08/08/2017 07h58

Vítima conheceu golpista em um site de relacionamentos. Ela fazia depósitos acreditando que liberaria a chegada de pertences dele da Rússia para o Brasil (Foto: RPC )

Vítima conheceu golpista em um site de relacionamentos. Ela fazia depósitos acreditando que liberaria a chegada de pertences dele da Rússia para o Brasil.

Uma moradora de Maringá, no norte do Paraná, diz ter perdido cerca de R$ 100 mil em um golpe na internet, conhecido como "golpe do amor". A vítima, que não quis ser identificada, conheceu o golpista em um site de relacionamentos e trocava e-mails com ele.

A mulher conta que depositou o dinheiro na conta do golpista, a pedido dele, acreditando que pagava taxas para liberar a vinda de pertences dele da Rússia para o Brasil.

O homem dizia ser um engenheiro canadense, viúvo, que trabalhava em uma plataforma de petróleo na Rússia, segundo a vítima. Cheio de declarações de amor, ele demonstrava estar apaixonado. Além disso, dizia também que queria investir em imóveis no Brasil, segundo a vítima.

“Ele dizia que tinha comprado um anel de noivado e que tinha se apaixonado por mim. Dizia que eu era a mulher da vida dele. Demonstrava estar apaixonado e queria vir para o Brasil me conhecer”, conta.

O golpe

Não demorou para a conversa do golpista mudar. Com a desculpa de que precisava de alguém para guardar objetos pessoais, ele pediu para enviar uma caixa para o endereço da mulher em Maringá.

“Num primeiro momento eu não aceitei, mas ele insistia. Dizia que não tinha ninguém para quem pudesse mandar e que sabia que eu era uma pessoa de confiança”, afirma.

Segundo a vítima, o homem insistiu tanto que ela aceitou. “Ele pedia com certo desespero e até então eu não percebia que isso era um golpe”, diz.

Depósitos

No entanto, para que os pertences pudessem chegar da Rússia até o Paraná era preciso pagar taxas a uma empresa de seguros responsável pelo transporte. A partir daí a mulher começou a fazer depósitos em contas correntes acreditando que estava liberando a bagagem.

“Perdi por volta de R$ 100 mil. Eu tinha R$ 25 mil na poupança e depois fui fazendo empréstimos em banco, consignados em folha de pagamento, e isso virou uma bola de neve”, revela.

Ela contou que seguiu fazendo os depósitos até que os filhos descobriram quando a vítima pediu R$ 4 mil a um sobrinho. “Eu me senti muito envergonhada e não me perdoo por ter caído em um golpe assim. Eu agi tentando ajudar uma pessoa”, diz.

A mulher afirmou que ainda se recupera do golpe. Ela procurou a polícia e está negociando as dívidas. “Eu espero que, sinceramente, essa quadrilha seja presa. Jamais eu pensei em passar por situação dessas”, comenta.

Com informações de G1 Paraná


  


Comentários

ACESSAR SUA CONTA PARA COMENTAR    ou   CADASTRE-SE

Comente esta notícia

Ao enviar seu comentário você concorda com os Termos de Uso deste espaço.


 
Facebook Twitter WhatsApp