COTIDIANO

Crianças aprendem brincando sobre a importância da alimentação saudável e higiene bucal em Pato Bragado

Boas práticas são incentivadas em atividade didática e prática, aplicada por nutricionista e cirurgião dentista

Pato Bragado
EDUCAÇÃO | 18/10/2017 13h15

Orientados pela nutricionista, Lovane Foleto e cirurgião dentista, Jocelane de Fátima Tambosi, alunos promovem a caminhada pelos hábitos saudáveis e de higiene bucal (Foto: Marili Besso )

Crianças e adolescentes do projeto piá Luz do Futuro de Pato Bragado realizam nesta quarta-feira (18), um jogo que consiste em uma caminhada pelos hábitos saudáveis e de higiene bucal. Trata-se de uma atividade didática na qual os alunos jogam um dado e, conforme a numeração ou as dicas de alimentação e higiene bucal avançam ou retornam casas.

De acordo com as idealizadoras do projeto, nutricionista Lovane Foleto e cirurgiã dentista, Jocelane de Fátima Tambosi a atividade foi aplicada aos alunos da manhã e também será realizada à tarde em comemoração ao Dia Mundial da Alimentação (16) e Dia Nacional de Saúde Bucal, na próxima quarta-feira (25).

Bons hábitos

A nutricionista explica que o consumo de alimentos como balas, chocolates, pirulitos, biscoitos, principalmente os recheados, refrigerantes, salgadinhos, além de serem “cariogênicos” podem causar diabetes, obesidade, cáries, doenças crônicas por excesso ou escassez de nutrientes, além de outros problemas.

Lovane garante que os hábitos alimentares são adquiridos durante toda a vida, mas é na infância que se deve estabelecer a prática da boa alimentação, para prevalecer na adolescência e na idade adulta. “As crianças não nascem com habilidade inata de escolher alimentos nutritivos. Ela é aprendida por meio das experiências sociais e educativas, e instituições como projeto piá e escolas são um dos locais socializados para elas, após a família”, orienta.

Já a cirurgiã dentista declara que os dentes quando bem tratados podem permanecer em funcionamento por toda a vida, já que as próteses não funcionam como os dentes naturais, o que reforça a necessidade de ações preventivas, desde a infância. “Por sua vez as doenças infecciosas bucais podem se converter em uma fonte de disseminação de micro-organismos patogênicos ou de seus produtos para outras regiões do corpo, resultando em dor, sofrimento, perda de produtividade no trabalho e na escola”, alerta a profissional.

Com informações de Assessoria


  


Comentários

ACESSAR SUA CONTA PARA COMENTAR    ou   CADASTRE-SE

Comente esta notícia

Ao enviar seu comentário você concorda com os Termos de Uso deste espaço.


 
Facebook Twitter WhatsApp