COTIDIANO

Creas de Pato Bragado promove campanha pelo fim da violência à mulher

Foram apresentadas as formas de violência, seja com atitudes, palavras ou comportamentos abusivos e canais de denúncias

Pato Bragado
CAMPANHA | 29/11/2017 09h29

Rafaela e Andrinea frisaram que os casos de violência podem ser denunciados pessoalmente (Foto: Marili Besso )

A Lei Maria da Penha, nome dado a uma legislação brasileira que garante a proteção das mulheres contra qualquer tipo de violência, completou, em agosto, 11 anos de criação. Mesmo com os benefícios dessa lei que determina que os agressores sejam presos em flagrante ou que tenham a prisão preventiva decretada, muitos não se inibem e grande parte das mulheres, vítimas de violência, sofrem caladas.

A luta pelo fim da violência contra mulher tem uma data para ser lembrada - 25 de novembro – Dia Internacional da não Violência contra a Mulher. No município, o Creas com o apoio da Secretaria de Assistência Social assume a função de zelar por essas vítimas de violência.

Hoje (28), a coordenadora do Creas, assistente social, Rafaela Melo Damasceno Couto, psicóloga, Andrinea Cordova da Rosa e a coordenadora do Cras, Deisi Mengarda, realizaram um pedágio com distribuição de folderes sobre as formas de violência e de denúncias para investigação, na Avenida Continental e indústrias. Também fixaram cartazes sobre a data em locais de grande circulação de pessoas, além de pequena palestra com repasse de esclarecimentos sobre violência física, psicológica, sexual, patrimonial e moral na Brague, indústria de confecções que emprega grande número de mulheres na cidade.

Rafaela e Andrinea frisaram que os casos de violência podem ser denunciados pessoalmente no Creas ou pelo 3282-1571. O Disque 180 (Central de Atendimento a Mulher), Disque 181 (Serviço do Governo do Estado) e o Disque 190 (Polícia Militar), bem como o site www.181.pr.gov.br, também são opções de denúncia.

Com informações de Assessoria


  


Comentários

ACESSAR SUA CONTA PARA COMENTAR    ou   CADASTRE-SE

Comente esta notícia

Ao enviar seu comentário você concorda com os Termos de Uso deste espaço.


 
Facebook Twitter WhatsApp