COTIDIANO

Prefeito de Pato Bragado busca orientações da Cohapar sobre programa Família Paranaense

Mano, juntamente com a secretária de Assistência Social, Marli Wollmann, retornaram à Cohapar para dar encaminhamento a pendências de projetos habitacionais

Pato Bragado
projeto habitacional | 05/12/2017 18h16

Conversa com João Naime Neto, foi sobre a organização de documentos necessários para que Pato Bragado consiga participar do segundo chamamento público para a construção de casas populares (Foto: Assessoria Cohapar )

Na segunda-feira (04), mesmo dia em que o prefeito Leomar Rohden (Mano) assinou convênio para construção de 20 casas populares com a Itaipu e governo do Estado em Curitiba, por intermédio da Secretaria da Família e Desenvolvimento Social (SEDS) o gestor, juntamente com a secretária de Assistência Social, Marli Wollmann retornaram à sede da Cohapar para dar encaminhamento a pendências de projetos habitacionais, em conjunto com o governo estadual.

Na última semana o prefeito esteve em Curitiba para buscar uma solução aos entraves relacionados à licitação para contratação da construtora responsável pela execução das obras de 25 casas populares.

O empreendimento, orçado em R$ 1,7 milhão, será financiado pela Caixa Econômica Federal, com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Podem participar do projeto famílias que não possuem casa própria e ganham de um a seis salários mínimos.

FAMÍLIA PARANAENSE

Dessa vez, segundo Rohden, a conversa com o superintendente de Relações Institucionais da companhia João Naime Neto, foi sobre a organização de documentos necessários para que a Prefeitura de Pato Bragado consiga participar do segundo chamamento público aberto pela Secretaria da Família e Desenvolvimento Social para a construção de casas populares.

“Buscamos mais 20 moradias para atender a demanda do nosso município e contamos com o apoio da Cohapar para que consigamos cumprir todos os critérios estabelecidos no edital”, afirma o prefeito.

Para Naime Neto, “a secretária da Família e Desenvolvimento Social, Fernanda Richa, tem buscado incessantemente o atendimento aos municípios que não foram contemplados no primeiro chamamento por pendências documentais e a Cohapar está comprometida com este objetivo”.

Com informações de Assessoria


  


Comentários

ACESSAR SUA CONTA PARA COMENTAR    ou   CADASTRE-SE

Comente esta notícia

Ao enviar seu comentário você concorda com os Termos de Uso deste espaço.


 
Facebook Twitter WhatsApp