COTIDIANO

População do Oeste se mobiliza contra demarcação de terras indígenas

A manifestação dos agricultores e entidades da classe ganharam o apoio de empresários e comunidade, a população fechou o comércio local e a passeata/carreata tomou as avenidas de Guaíra

Paraná
Guaíra | 06/12/2017 21h21

O deputado estadual Elio Rusch, que representa o Oeste e defende as bandeiras da agricultura, desenvolvimento e propriedade privada, se pronunciou na tribuna da Assembleia Legislativa defendendo a causa dos agricultores, associações, sindicatos e sociedade organizada de Guaíra e Terra Roxa (Foto: Assessoria )

Respeito à propriedade privada e à força produtiva do Oeste do estado do Paraná, assim pode ser representada a grande mobilização popular que tomou as ruas de Guaíra na tarde desta quarta-feira (06) para protestar contra o processo de demarcação de terras indígenas. O deputado estadual Elio Rusch, que representa o Oeste e defende as bandeiras da agricultura, desenvolvimento e propriedade privada, se pronunciou na tribuna da Assembleia Legislativa defendendo a causa dos agricultores, associações, sindicatos e sociedade organizada de Guaíra e Terra Roxa.

A manifestação dos agricultores e entidades da classe ganharam o apoio de empresários e comunidade, a população fechou o comércio local e a passeata/carreata tomou as avenidas de Guaíra.

“Entendo que o índio deve ser respeitado como índio, mas não podemos concordar que áreas sejam invadidas. O Direito legítimo e sagrado é o direito à propriedade”, enfatizou o deputado Rusch ao defender a manifestação pacífica e democrática dos munícipes de Guaíra e Terra Roxa.
Uma equipe técnica da Funai (Fundação Nacional do Índio) percorreu os municípios de Guaíra e Terra Roxa para fazer um Estudo de Identificação e Delimitação, contudo o relatório final será realizado em Brasília. A delimitação das terras dos municípios do Oeste foi autorizada em 2009 pela Presidência da República em um processo que poderia afetar 30% da área agricultável na região dos rios Paraná, Taquari e Iguaçu. Contudo, recentemente a Frente Parlamentar da Agricultura conseguiu a aprovação da PEC 215 que transfere do governo federal para o Congresso Nacional a competência para as demarcações.

Também foi explicado pelo deputado que as terras onde a agricultura e a pecuária são a grande força econômica foram adquiridas pela colonizadora por meio de títulos conferidos pelo governo federal.

“Terras compradas e adquiridas, mas que agora foram invadidas por índios. E a nossa preocupação é com a invasão de índios que vêm do Paraguai e do Mato Grosso”, complementou Rusch, que também revelou informações sobre famílias que adquiriram as terras há mais de 80 anos.

 

Com informações de Assessoria


  


Comentários

ACESSAR SUA CONTA PARA COMENTAR    ou   CADASTRE-SE

Comente esta notícia

Ao enviar seu comentário você concorda com os Termos de Uso deste espaço.


 
Facebook Twitter WhatsApp