POLÍTICA

Prefeitura corta vagas no CAF para abrigar menores infratores

Vereador Arion Nasihgil reagiu às mudanças propostas pela prefeitura municipal e criticou o corte de vagas

Mal. Cândido Rondon
corte de vagas | 27/02/2018 18h45

Vereador Arion Nasihgil reagiu às mudanças propostas pela prefeitura municipal e criticou o corte de vagas (Foto: Prefeitura Municipal )

A prefeitura municipal de Marechal Cândido Rondon está realizando em 2018 diversas mudanças no Centro de Atendimento à Família (CAF). A mais notória delas é a destinação de vagas para crianças e adolescentes em situações de vulnerabilidade, dentre as quais se destaca a questão dos menores infratores. Entretanto, para atender essa demanda, foi preciso cortar aproximadamente 70 vagas de crianças e adolescentes que vinham frequentando o local.

Justificando as mudanças, a secretária municipal de Assistência Social, Josiane Laborde Rauber, afirmou que é preciso “desmistificar a ideia de que o CAF trabalhe o contraturno escolar, que tradicionalmente ocorria enquanto não havia uma política que definisse os serviços. Hoje, a Assistência Social é uma política pública, seletiva, e seus usuários obedecem a critérios para que dela façam parte”.

De outro lado, o vereador rondonense Arion Nasihgil apresentou requerimento na Câmara Municipal de Marechal Cândido Rondon questionando as mudanças implementadas e criticou duramente o corte de vagas para aquelas crianças e adolescentes que vinham frequentando o CAF, especialmente aquelas oriundas de famílias de baixa renda, em razão da destinação destas vagas para outras categorias de menores, notadamente os infratores.

Segundo Arion, “foi um grande erro tirar as vagas das crianças e adolescentes que já vinham frequentando o CAF para dar lugar especialmente aos menores infratores”. Ainda segundo o vereador, “todas as crianças e adolescentes em situações de vulnerabilidade têm direito à participação no Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, realizado aqui em nosso município através do CAF, conforme preconiza o Artigo 3º da Resolução 01/2013 do CNAS, inclusive os infratores, que merecem o cuidado do Poder Público para se ressocializarem adequadamente. Entretanto, é preciso lembrar que crianças e adolescentes de famílias com precário acesso a renda e a serviços públicos também possuem este direito, sendo que a maioria dos menores que perderam suas vagas no CAF em razão das mudanças implementadas são de famílias pobres do nosso município”.

“Essas crianças precisam de suas vagas e não podemos admitir mudanças radicais sem ao menos ter sido a população interessada consultada previamente”, finalizou o edil.

Com informações de Vereador Arion Nasihgil


  


Comentários

ACESSAR SUA CONTA PARA COMENTAR    ou   CADASTRE-SE

Comente esta notícia

Ao enviar seu comentário você concorda com os Termos de Uso deste espaço.


 
Facebook Twitter WhatsApp