COTIDIANO

Dentista aponta aos estudantes malefícios do hábito das gomas de mascar

Preocupação da direção e professores com uso excessivo entre estudantes motivou a realização de palestra no Colégio Estadual Pato Bragado

Pato Bragado
SAÚDE BUCAL | 25/06/2018 16h05

Explanações acerca dos malefícios das gomas de mascar serão repassadas a 18 turmas, pela dentista Jocelani de Fátima Tambosi (Foto: Marili Koehler )

Engana-se quem pensa que a mania de mascar chicletes é coisa de criança. São muitos os jovens e adultos fãs das gomas de mascar. Muitos mastigam chiclete como se fosse um lanche, simplesmente porque gostam do sabor ou da distração que ele proporciona. Alguns utilizam como alívio ao estresse ou para inibir os desejos por comida.

No entanto, há evidências convincentes de que mascar chicletes com frequência, é um hábito prejudicial, com ingredientes questionáveis ao seu impacto sobre os dentes e digestão.

No Colégio Estadual Pato Bragado, direção e professores perceberam que o chiclete era comum, uma ‘mania’ entre os estudantes, mesmo com a proibição nos educandários escolares, desde os anos iniciais. “Tínhamos a preocupação em relação ao uso do chiclete e se era excessivo, mascarando um problema bucal. Além disso, também surgiu o questionamento em relação à frequência com que realizavam a higiene bucal e compareciam ao dentista, ou se acreditavam que o chiclete serviria para manterem uma boca saudável”, revela o diretor auxiliar do Colégio Estadual Pato Bragado, Ivan Luís da Costa.

Cientes de que era necessária a abordagem profissional, em contato com a Secretaria Municipal de Saúde, a dentista da Unidade de Atenção Primária a Saúde da Família (UAPSF), Jocelani de Fátima Tambosi iniciou um importante trabalho de conscientização e prevenção. Desde os últimos dias e de sala em sala, ela ministra explanações acerca dos malefícios das gomas de mascar aos alunos que estudam durante o dia. Aos estudantes do período noturno, as palestras serão no dia 04 de julho, contabilizando assim, 18 turmas.

Nocivo e colateral

Jocelani afirma que durante as explicações têm apresentado os efeitos colaterais nocivos do chiclete, citando que as pessoas que mascam goma são menos propensas a comer frutas e mais motivadas a comer junk food, como batata frita e doces, já que a sensação de menta na gengiva torna o sabor de frutas e legumes mais amargo. “Além disso, mascar chiclete pode causar desequilíbrio muscular da mandíbula (se a pessoa mastigar de um lado mais que o outro) e, até mesmo, uma disfunção da articulação da mesma, causando assim, dores musculares, dores de cabeça, dores de ouvido e dor de dente”, revela.

A profissional também aponta os problemas gastrointestinais causados por esse hábito como engolir excesso de ar, o que pode contribuir para dor abdominal, inchaço e flatulência. “Isso sem contar os danos dentais, mesmo quando a goma não contém açúcar, mas muitas vezes contém aromas ácidos e conservantes que podem levar à erosão dental, ou seja, um processo de descalcificação que, com o tempo, degrada o esmalte dos dentes”, adverte a dentista.

Jocelani garante que mesmo que alguns digam que a goma de mascar ajuda na limpeza bucal, aliviando assim um possível mau hálito, jamais ela substituirá uma escovação adequada com o fio dental. “As placas bacterianas continuarão na boca de quem opta por um chiclete para higienizar a boca”, conclui.

Com informações de Assessoria


  


Comentários

ACESSAR SUA CONTA PARA COMENTAR    ou   CADASTRE-SE

Comente esta notícia

Ao enviar seu comentário você concorda com os Termos de Uso deste espaço.


 
Facebook Twitter WhatsApp