COTIDIANO

Trabalhos de artista nova-santa-rosense estão expostos no Museu Dom Severino Kögl

A exposição está aberta para visitação do público durante o mês de julho

Nova Santa Rosa
CULTURA | 18/07/2018 10h16

A artista possui no currículo a ilustração de dois livros, “Com Ela” e “Preconceito e Eu” (Foto: Emanuela Schaedler Schnekemberg )

Os trabalhos da artista Ana Vitória de Almeida, estão expostos no Museu Dom Severino Kögl em Nova Santa Rosa. A exposição intitulada “Escritores brasileiros” conta com a caricatura de grandes nomes brasileiros, como por exemplo, Érico Lopes Veríssimo, Carlos Drummond de Andrade, Vinicius de Moraes, Mário de Miranda Quintana, Clarice Lispector, Rachel de Queiroz, Pedro Bandeira, Anita Malfatti, Antônio Frederico de Castro Alves, José de Alencar, José Bento Renato Monteiro Lobato, Joaquim Maria Machado de Assis, Paulo Coelho de Souza e Cecília Benevides de Carvalho Meireles.

A exposição está aberta para visitação do público durante o mês de julho. O Museu Dom Severino Kögl, é aberto de segunda a sexta-feira, das 8 horas às 11h30 e das 13h30 às 16 horas, anexo a Biblioteca Pública Municipal Arnaldo Busato. A Secretaria de Educação e Cultura busca abrir espaços para que os artistas nova-santa-rosenses mostrem as suas artes e tenham um local para expor os trabalhos realizados, por isso oferta o Museu Dom Severino Kögl para a realização de exposições.

Ana Vitória

A artista Ana Vitória de Almeida tem 21 anos, mora em Nova Santa Rosa, é formada em computação gráfica pela Faculdade Anhanguera. Ana vê a arte como exemplo para se expressar, ela se inspira na essência e nos detalhes de cada pessoa.

Caricaturista, ilustradora e projetista, trabalha com o público em geral por meio de encomendas, buscando sempre alcançar as expectativas colocadas em cada obra. Ana procura se aperfeiçoar a cada dia, aprendendo novas técnicas, estudos e qualidades para suas obras e trabalhos.

A artista possui no currículo a ilustração de dois livros, “Com Ela” e “Preconceito e Eu”. Segundo Ana, cada trabalho realizado conta com a sua essência. “Não busco a perfeição, mas sim trazer e mostrar a minha essência em cada obra feita. Trabalho e modelo as imperfeições, não para que elas sejam aceitas por padrões já construídos, mas, para que sejam vistas e respeitadas como são. Isso é arte!”, diz.

Com informações de Assessoria


  


Comentários

ACESSAR SUA CONTA PARA COMENTAR    ou   CADASTRE-SE

Comente esta notícia

Ao enviar seu comentário você concorda com os Termos de Uso deste espaço.


 
Facebook Twitter WhatsApp