POLICIAL

BPFron apreende defensivos agrícolas e pneus contrabandeados em Foz do Iguaçu

Foram apreendidos aproximadamente 100 kg de veneno agrícola e 20 pneus

Paraná
Operação Fronteira Integrada | 25/10/2018 15h25

BPFron apreende defensivos agrícolas e pneus contrabandeados em Foz do Iguaçu (Foto: BPFron/Divulgação )

Na manhã desta quinta-feira (25), no âmbito da Operação Fronteira Integrada, Policiais Militares do BPFron realizavam patrulhamento na cidade de Foz do Iguaçu, no Bairro Vila Portes quando avistaram um grupo de pessoas em frente a um depósito. Ao visualizarem a presença policial os suspeitos empreenderam fuga, não sendo localizados.

No depósito foram encontrados 16 pneus contrabandeados do Paraguai, além de aproximadamente 100 kg de veneno agrícola. O contrabando foi apreendido.

Na noite de quarta-feira (24), também na cidade de Foz do Iguaçu, outra ocorrência do gênero foi registrada. Policiais Militares do BPFron realizavam patrulhamento quando adentraram em um porto clandestino. Suspeitos visualizaram a presença policial e se evadiram, não sendo localizados. No local, quatro pneus de caminhão contrabandeados do Paraguai foram apreendidos e encaminhados à Receita Federal de Foz do Iguaçu.

Ilícitos do segmento dos agroquímicos, como os apreendidos na manhã de hoje, são uma das pautas do quadro de temático do painel que o V Seminário Fronteiras do Brasil, realizado pelo IDESF – Instituto de Desenvolvimento Econômico e Social de Fronteiras, está tratando na cidade de Foz do Iguaçu onde ocorre o evento.

Sob o tema: O impacto do contrabando no agronegócio, discussões estão sendo levantadas acerca deste tipo de contrabando que não possuindo requisitos mínimos, esses produtos irregulares representam um alto risco de dano e ameaça à saúde do trabalhador e das pessoas que consomem os alimentos em que foram utilizados. Além, disso, os agrotóxicos irregulares não geram nenhum valor ao país, visto que não pagam nenhum tipo de imposto.

Infelizmente, tais compradores de defensivos irregulares ainda não estão cientes dos riscos que esses produtos têm sobre a saúde humana e sobre o meio ambiente. Todos os agrotóxicos vendidos no Brasil são fiscalizados pela ANVISA, pelo IBAMA e pelo Ministério da Agricultura o que torna a venda destes produtos químicos bastante rigorosa.

De acordo com Rosane Amadori, Assessora de Comunicação Social do IDESF, essa situação trata-se de um caso de saúde pública que impacta toda a sociedade. Hoje já existem informações de organizações criminosas altamente qualificadas para fazer este tipo de contrabando e que é um crime que não aparece em um mercado de controle.


  


Comentários

ACESSAR SUA CONTA PARA COMENTAR    ou   CADASTRE-SE

Comente esta notícia

Ao enviar seu comentário você concorda com os Termos de Uso deste espaço.


 
Facebook Twitter WhatsApp