COTIDIANO

Adapar intensifica fiscalização na cultura do trigo cultivada em 2018

A Agência vai investigar os motivos que ocasionaram a presença dos resíduos de agrotóxico nos grãos

Paraná
Produção | 07/12/2018 13h10

Nestes locais foram verificados o armazenamento, origem fiscal, receituário agronômico, aplicação de agrotóxico, bem como, coletadas amostras fiscais para verificação da presença de resíduos de agrotóxico nos grãos colhidos (Foto: Assessoria )

A Adapar regional Toledo intensificou a fiscalização na cultura do trigo cultivada neste ano de 2018.

Foram realizadas fiscalizações para verificação da regularidade no comércio de sementes, prescrição de receituários agronômicos e comércio de agrotóxicos para a cultura, bem como, nas propriedades agrícolas que cultivaram o cereal. Nestes locais foram verificados o armazenamento, origem fiscal, receituário agronômico, aplicação de agrotóxico, bem como, coletadas amostras fiscais para verificação da presença de resíduos de agrotóxico nos grãos colhidos. Do total coletado, 83% das amostras acusaram resíduo de agrotóxico e o principal ingrediente ativo detectado foi o glifosato.

O glifosato possuí registro para a cultura do trigo somente para aplicação em pré-plantio, ou seja, após a germinação da cultura não é permitida a aplicação deste produto. Um fato chama a atenção. Da germinação da semente até a colheita dos grãos a cultura necessita de 120 a 150 dias e, mesmo assim, foi detectada a presença do agrotóxico nos grãos. A Agência vai investigar os motivos que ocasionaram a presença dos resíduos de agrotóxico nos grãos, apurar as responsabilidades e, conforme o caso, adotar as medidas cabíveis.

Com informações de Assessoria


  


Comentários

ACESSAR SUA CONTA PARA COMENTAR    ou   CADASTRE-SE

Comente esta notícia

Ao enviar seu comentário você concorda com os Termos de Uso deste espaço.


 
Facebook Twitter WhatsApp