POLÍTICA

Poder Legislativo de Marechal Rondon emite nota oficial sobre o caso do Vereador Adelar

Neumann segue preso

Mal. Cândido Rondon
nota oficial | 06/02/2019 14h26

Adelar Neumann segue preso (Foto: Divulgação )

Poder Legislativo de Marechal Cândido Rondon, através do seu presidente, vereador Cláudio Roberto Kohler, emitiu nota oficial na tarde desta quarta-feira (06) com relação ao caso que envolveu a pessoa do vereador Adelar Neumann (DEM).No dia de hoje a justiça acatou o pedido do Ministério Público e decretou a prisão preventiva do vereador. Por conta disso ele seguirá preso durante as investigações. A defesa deve recorrer ao Tribunal de Justiça, em Curitiba. 

Adelar permanece preso na carceragem da Polícia Civil de Marechal Cândido Rondon. Ele é acusado pelo Ministério Público de extorsão e tráfico de influência. Foi flagrado e detido por agentes do Gaeco de Foz do Iguaçu recebendo R$ 2.080,00 de um servidor comissionado da prefeitura de Rondon, dinheiro que de acordo com o Ministério Público era uma espécie de “mensalinho” pago ao vereador desde agosto do ano passado.

Segue, na integra, a nota oficial:

 NOTA OFICIAL

Em face dos fatos divulgados na imprensa envolvendo conduta do vereador Adelar Neumann, conforme determinam o Regimento Interno e o Código de Ética da Casa de Leis, a presidência do Poder Legislativo de Marechal Cândido Rondon informa que:

 - Irá instalar nos próximos dias Comissão de Ética Permanente, para o biênio 2019-2020, para apurar a conduta do vereador Adelar Neumann e eventuais atos que necessitem de averiguação por comprometerem a dignidade do Poder Legislativo no Município. As providências serão tomadas nos devidos termos da lei.

- Esta Comissão de Ética Permanente será composta por três vereadores, observando-se a proporcionalidade partidária e a indicação pelos respectivos líderes de bancada.

- A Mesa Diretiva assegura o direito à ampla defesa do vereador, sendo que a Comissão nomeada fará as diligências que entender necessárias para o esclarecimento dos fatos.

- Se concluir pela inexistência da infração, a Comissão determinará o arquivamento dos autos; em caso contrário, cujas conclusões dirão sobre a penalidade cabível, o relatório será encaminhado à Mesa Diretiva, que submeterá o caso ao Plenário, em sessão especialmente convocada para este fim. 

Marechal Cândido Rondon, 06 de fevereiro de 2019.

 CLÁUDIO ROBERTO KOHLER

Presidente

Com informações de Assessoria


  


Comentários

ACESSAR SUA CONTA PARA COMENTAR    ou   CADASTRE-SE

Comente esta notícia

Ao enviar seu comentário você concorda com os Termos de Uso deste espaço.


 
Facebook Twitter WhatsApp