COTIDIANO

Copagril levará produtores para o Fórum do Paraná Livre de Febre Aftosa sem Vacinação

O evento acontecerá em Cascavel, na quinta-feira (23)

Mal. Cândido Rondon, Paraná
Evento | 21/05/2019 09h23

Está sendo realizada no estado do Paraná uma série de eventos para promover um diálogo entre autoridades, especialistas e produtores rurais sobre todos os efeitos e compromissos dos produtores com a antecipação do reconhecimento do estado como livre de febre aftosa sem vacinação.

Os primeiros encontros foram realizados em Paranavaí no dia 14 de maio e no dia 15 em Cornélio Procópio. O ciclo de reuniões continuará nesta semana com encontros no dia 21 em Guarapuava, dia 22 em Pato Branco, dia 23 em Cascavel para produtores do oeste do estado e no dia 29 em Curitiba.

Reconhecendo a importância de sanar as dúvidas dos produtores sobre o fim da vacinação da aftosa, a Cooperativa Agroindustrial Copagril disponibilizará gratuitamente aos produtores de sua área de atuação o transporte para o Fórum do Paraná Livre de Febre Aftosa sem Vacinação que será realizado em Cascavel, no dia 23.

O ônibus, que possui 35 vagas disponíveis, sairá da AACC de Marechal Cândido Rondon no dia 23, às 11h30 e após o encontro retorna a Marechal Cândido Rondon. Produtores que se interessam em utilizar o transporte disponibilizado pela cooperativa podem entrar em contato com o fomento leiteiro da Copagril para reservar seu lugar, já que as vagas são limitadas. O telefone para a reserva do lugar é (45) 3284-7604.

Parceiros

Os fóruns são promovidos pela Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento, Adapar, Emater, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Sistema Faep/Senar, Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores Familiares do Estado do Paraná (Fetaep), e Sistema Ocepar, além de entidades locais que colaboram com recursos físicos.

Reconhecimento

Com a antecipação do reconhecimento do novo status sanitário do Paraná, os produtores de bovinos, suínos e aves terão novos desafios e vantagens: em março deste ano, os técnicos Marta Oliveira Freitas (Adapar) e Fábio Peixoto Mezzadri (Deral/Seab) divulgaram um estudo que mostra que o novo status pode dobrar as exportações de carne suína no Paraná, chegando a 200 mil toneladas ao ano. Além disso, as cadeias produtivas de carne bovina, de aves e leite também serão beneficiadas com o acesso a novos mercados.

A mudança de status será oficializada em setembro, quando o Mapa publicará o ato normativo de reconhecimento da condição do Paraná com as obrigações e regras de entradas e movimentação de animais, bem como, os próximos passos para obtenção do certificado de área livre pela Organização Internacional de Saúde Animal.

Com informações de Assessoria Copagril/Ocepar


  


Comentários

ACESSAR SUA CONTA PARA COMENTAR    ou   CADASTRE-SE

Comente esta notícia

Ao enviar seu comentário você concorda com os Termos de Uso deste espaço.


 
Facebook Twitter WhatsApp