COTIDIANO

42% dos produtores restam vacinar contra a febre aftosa em Quatro Pontes

A campanha vai até sexta-feira (31)

Quatro Pontes
Prevenção | 27/05/2019 13h17

Secretário de Desenvolvimento Econômico, Rudi Kuns (Foto: Divulgação )

Vai até sexta-feira (31) a campanha de vacinação contra febre aftosa no Paraná. Nesta etapa, a vacinação é obrigatória para animais jovens de zero a 24 meses, bovinos e búfalos. A expectativa da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar) é de que sejam vacinadas 4,1 milhões de cabeças.

O Município de Quatro Pontes conta com 345 produtores. Deste montante, 145 faltam atualizar e vacinar, somando 42%. Por sua vez, 3.873 são o total de animais da referida faixa etária e desta quantia restam ser imunizados 1.712, totalizando 44%.

Ao comprar a vacina, os criadores obtêm a nota fiscal e o formulário para comprovar a vacinação, que será utilizado para atualização do cadastro na Adapar.

O secretário de Desenvolvimento Econômico, Rudi Kuns, explica que mesmo os produtores de bovinos e búfalos que não tenham animais abaixo de 24 meses precisam atualizar o cadastro no prazo estabelecido para esta campanha. “O transporte de animais só é autorizado com a vacinação e cadastro atualizado, o que permite a emissão da Guia de Trânsito Animal (GTA)”, pondera.

Os produtores devem comprovar a vacinação presencialmente nas unidades da Adapar ou pelo site www.adapar.pr.gov.br.

Multa

Os produtores que não cumprirem a obrigatoriedade poderão ser autuados. A não vacinação ou não comprovação implica em multa, definida conforme a quantidade de animais. O valor-base segue a Unidade Padrão Fiscal do Paraná (UPF), que chegou ao valor de R$ 102,49 em abril de 2019 e deve ter reajuste neste mês.

Para o trabalho de fiscalização, a Adapar tem 135 unidades locais e conta com o auxílio de 240 escritórios municipais. O trabalho é feito de forma permanente e intensificado nos períodos de campanha. A última, em novembro de 2018, teve índice de vacinação de 98%, dentro das expectativas da Adapar.

Suspensão

Essa pode ser a última campanha de vacinação contra febre aftosa no Paraná. Para isso, a suspensão da vacinação precisa ser divulgada oficialmente pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Hoje, o Paraná é reconhecido pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) como área livre de febre aftosa com vacinação. O objetivo é obter o reconhecimento de área livre de febre aftosa sem vacinação, com fiscalização permanente, na expectativa de atrair investimentos e abertura em mercados internacionais.

Com informações de Assessoria


  


Comentários

ACESSAR SUA CONTA PARA COMENTAR    ou   CADASTRE-SE

Comente esta notícia

Ao enviar seu comentário você concorda com os Termos de Uso deste espaço.


 
Facebook Twitter WhatsApp