COTIDIANO

Teste da orelhinha passa a ser ofertado na saúde pública rondonense

A Secretaria de Saúde comprou um aparelho de otoemissões acústicas

Mal. Cândido Rondon
Saúde | 18/06/2019 17h24

O atendimento no CIS para a realização do exame acontecerá sempre nas segundas-feiras, no período da tarde (Foto: Assessoria )

A saúde pública de Marechal Rondon passa a ofertar um novo tipo de exame para os pequenos rondonenses. Trata-se do “Teste da Orelhinha”, que antes era feito somente via Ciscopar em hospitais do SUS localizados em outros municípios.

Para que este novo serviço fosse possível, a Secretaria de Saúde comprou um aparelho de otoemissões acústicas. De acordo com a responsável pela pasta, Marciane Specht, o aparelho teve o custo de R$ 18.000,00. “Para cada exame via Ciscopar, pagávamos R$ 46,00. A média mensal de nascimentos no Hospital Cruzatti é de 30 bebês. O custo mensal para todos fazerem o exame seria de R$ 1.380,00. Com essa média, em 13 meses, pagamos o equipamento”, explica.

“Assim que nasce o bebê, já haverá o agendamento de uma data e horário para a realização do teste da orelhinha, que acontecerá no CIS (Centro Integrado de Saúde)”, destaca Marciane. “O melhor de tudo isso é que os pais podem levar os filhos para a realização do exame perto de casa, não mais precisando se deslocar para outras cidades”, observou.

O atendimento no CIS para a realização do exame acontecerá sempre nas segundas-feiras, no período da tarde. O teste será feito pela fonoaudióloga Lívia Cristine Kunimatsu. “É um teste simples, indolor, rápido e realizado durante o sono natural do bebê, sem contraindicação. Ele avalia a reação das células ciliadas externas, localizadas na orelha interna em resposta a sons suaves. Quanto mais precoce for diagnosticada a perda auditiva e tratada, melhores serão as chances da criança apresentar um bom desenvolvimento de fala. O fato do bebê ouvir sons fortes não garante que escuta sons suaves, sendo esses os responsáveis pelo desenvolvimento da fala. É indicado realizar o teste preferencialmente até o terceiro mês de vida do bebê. A audição da criança é importante. A criança só aprende a falar, ouvindo!”, relata Lívia.

Com informações de Assessoria


  


Comentários

ACESSAR SUA CONTA PARA COMENTAR    ou   CADASTRE-SE

Comente esta notícia

Ao enviar seu comentário você concorda com os Termos de Uso deste espaço.


 
Facebook Twitter WhatsApp